Aécio Neves passa mal às vésperas do julgamento que o tornará réu

Aécio Neves passa mal às vésperas do julgamento que o tornará réu

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi levado ao Hospital Santa Lúcia, em Brasília, na manhã desta quinta-feira (12). Ele teve um mal-estar e está acompanhado por familiares.A assessoria de imp

Leia tudo

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi levado ao Hospital Santa Lúcia, em Brasília, na manhã desta quinta-feira (12). Ele teve um mal-estar e está acompanhado por familiares.

A assessoria de imprensa do senador informou que Aécio foi ao hospital para fazer exames, mas "está bem". Segundo assessores, o político chegou ao hospital particular na Asa Sul por volta das 9h.

Às 14h10, o hospital anunciou que o senador receberia alta ainda durante a tarde desta quarta-feira. Às 14h45 ele saiu sem dar entrevistas e, segundo os médicos e assessores, foi para a casa onde mora, no Lago Sul.

No boletim médico divulgado às 15h e assinado pelo médico Sergio Murilo Domingues Junior, consta que Aécio esteve no local "para a realização de exames de rotina". O tipo de exame e a suspeita do que teria motivado o mal-estar não foram informados.

Boletim mdico divulgado pelo Hospital Santa Lcia sobre o senador Acio Neves PSDB-MG Foto DivulgaoBoletim mdico divulgado pelo Hospital Santa Lcia sobre o senador Acio Neves PSDB-MG Foto Divulgao
Boletim médico divulgado pelo Hospital Santa Lúcia sobre o senador Aécio Neves (PSDB-MG) (Foto: Divulgação)

Denúncia no STF

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) deverá decidir na próxima terça-feira (17) se recebe denúncia contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG) e o torna réu por corrupção e obstrução de Justiça, informou a assessoria do tribunal.

A decisão sobre a denúncia caberá aos ministros Marco Aurélio Mello (relator), Luís Roberto Barroso, Luiz Fux, Alexandre de Moraes e Rosa Weber.
Se a maioria aceitar a denúncia, Aécio passa a responder ao processo penal na condição de réu e poderá contestar a acusação com novas provas. Só ao final da ação poderá ser considerado culpado ou inocente.

Aécio foi acusado em junho do ano passado, em denúncia da Procuradoria Geral da República, de pedir propina de R$ 2 milhões ao empresário Joesley Batista, dono da J&F, e tentar atrapalhar o andamento da Operação Lava Jato (leia diálogo entre Aécio Neves e Joesley Batista).