Atores colocam placa para subjugar eleitores de Bolsonaro e acabam sendo humilhados por eleitor esclarecido

Atores colocam placa para subjugar eleitores de Bolsonaro e acabam sendo humilhados por eleitor esclarecido

No fim de janeiro os atores Leonardo Chaves e André Garcia decidiram colocar duas cadeiras de praia no meio do Largo do Machado e levantar uma placa com a inscrição “Converso com eleitor do

Leia tudo

No fim de janeiro os atores Leonardo Chaves e André Garcia decidiram colocar duas cadeiras de praia no meio do Largo do Machado e levantar uma placa com a inscrição “Converso com eleitor do Bolsonaro”, a ideia seria, em essência polemizar e desmerecer o candidato de direita Jair Bolsonaro.

O ato dos atores foi acompanhado pela equipe do jornal o O Globo que posteriormente realizaria uma reportagem com os interlocutores. Nas duas primeiras horas os artistas tiveram sorte ao interpelar pessoas simples das ruas do Rio de Janeiro e conseguir facilmente refutar todos os argumentos usando o mesmo discurso, entretanto um senhor de 63 anos se introduziu no debate com os jornalistas e construiu uma linha de argumentos que deixou os atores perplexos e sem fala.

Intrigado o senhor se aproximou dizendo que gostaria de participar da conversa, rapidamente os atores introduziram (como fez com os outros 15 participantes) a mesma pergunta "Por que o senhor apoia Jair Bolsonaro?" apimentado com um sorrisinho sarcástico e triunfante aguardando uma mecânica e reproduzida resposta, o senhor deu um sorriso e respondeu prontamente

"Eu gosto deste homem porque já mostrou que é uma pessoa honesta e com boas ideias"

Os atores se entreolharam e engataram a resposta automático:

"roubar não pode o único critério, afinal, o próprio Hitler não tem histórico de corrupção";

depois de escutar a replica do ator, o senhor franziu a sobrancelha e treplicou

"Os senhores estão equivocadoa e seus argumentos não apresentam a devida pertinência; primeiramente, Bolsonaro não se assemelha em nada ao líder nazista, se o fizesse ninguém o seguiria e estaria preso, pois isso é crime grave em nosso país"

o senhor então prossegue na linha de argumento

 "meu candidato possui princípios e valores conservadores, isso não é suficiente para transformar o nosso país, mas é uma das coisas que gosto nele; outro fator determinante na escolha de meu voto, foram suas ideias voltadas as questões de desenvolvimento econômico e social...",

neste momento os atores em tom de deboche deram uma risadinha e movimentaram a cabeça em sinal de negativo, mas o senhor não se intimidou e continuou argumentando

"cavalheiro, eu não sou uma pessoa desinformada ou desqualificada; como eu disse, o meu candidato compreende que na educação é necessário criar limites por parte dos discentes e que a carência de respeito, ordem e disciplina foram predominantes para o colapso na educação; quando falamos de economia, nos defrontamos com a completa ausência de modelos econômicos adequados, pois estes são inadaptáveis em nossa estrutura desorganizada e corrupta, e Bolsonaro declarou que há plena necessidade de incluir pessoas capazes nos ministérios, para assim combater a corrupção e consequentemente a carência de potência gerencial dos ministros."

Olhando fixamente nos olhos dos atores progressistas o homem de 63 anos disse

"peço que compreendam que o Bolsonaro pretende renunciar a proposta de "toma lá dá cá" e reestruturar o sistema político brasileiro, isso já deveria ter sido feito há décadas atrás e ele tem coragem para isso! Os governos e prefeituras estão sendo mal gerenciados porque nomeiam pessoas incapazes e sem especialidade profissional para ficar em seus cargos, é por isso que criam-se grandes filas nos hospitais, crianças morrem, a educação não anda, o transporte massifica, não há segurança e nada é resolvido, as pessoas que estão na liderança não deveriam estar lá, o estão por 'dívidas políticas' "

então ele finaliza e aumenta o tom da voz para que todos ouçam claramente

"Bolsonaro reduzirá custos porque possui senso de prioridade e já desmonstrou isso em todas as entrevistas que ele fez e me sua vida pública, vai mudar esse país porque sabe que não se pode enviar dinheiro para Carnaval em vez de salvar crianças em hospitais; meu candidato mudará esse país porque compreende que devemos resgatar o patriotismo, honestidade, respeito e principalmente organização e disciplica. Eu poderia ficar horas argumentando aqui com os senhores e poderia elencar uma lista imensurável de prós e contras (eu sei que meu candidato é perfeito), mas sem dúvida é infinitamente superior aos outros; mas peço que os senhores se informem um pouco antes, assistam as entrevistas e parem de julga-lo pelo que os outros dizem, vocês são maiores do que isso."

Os dois atores e os repórteres do Globo abaixaram a cabeça em meio a multidão que aplaudia fervorosamente enquanto guardavam os materiais da entrevista. Não havia mais da a dizer.