Com Alckmin estagnado nas pesquisas, tucanos brigam pela candidatura presidencial

Com Alckmin estagnado nas pesquisas, tucanos brigam pela candidatura presidencial

Com o objetivo de definir o nome que representará o PSDB na campanha presidencial deste ano, a executiva nacional do partido anunciou nesta quarta-feira (7) que promoverá um debate entre pré-

Leia tudo

Com o objetivo de definir o nome que representará o PSDB na campanha presidencial deste ano, a executiva nacional do partido anunciou nesta quarta-feira (7) que promoverá um debate entre pré-candidatos no dia 1º de março e as prévias no dia 4 de março.

Até o momento, anunciaram a intenção de disputar as eleições presidenciais o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, que preside o partido, e o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto.

A sigla informou que o debate entre os dois tucanos será transmitido pela internet. Já as prévias serão realizadas em todas as cidades nas quais o PSDB conta com diretório municipal, e todos os filiados do partido poderão participar.

“Acho que é importante. Os partidos precisam se democratizar, abrir as consultas. Você permite uma participação maior de todos os filiados. Essa eleição vai ser uma eleição de ouvir muito”, disse Alckmin nesta quarta, após participar de reunião do partido em Brasília.

Apesar da definição das datas, Alckmin disse que, a pedido de Virgílio, detalhes da programação ainda são discutidos. Uma comissão de ex-presidentes do partido ficará a cargo das definições finais.

João Doria

Depois de participar da reunião da Executiva do PSDB, o prefeito de São Paulo, João Doria, se reuniu com o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE).

Após o encontro, Doria disse ter transmitido a Eunício o apoio da legenda à reforma da Previdência. O PSDB já fechou questão a favor do projeto em análise na Câmara, mas não vai punir parlamentares que votarem contra a proposta.

O prefeito de São Paulo disse que também discutiu com o peemedebista questões eleitorais. Para ele, o candidato do PSDB à presidência da República deve ser Geraldo Alckmin. Doria afirmou também que tenta costurar com o PMDB o apoio à candidatura do tucano.

"O governador Alckmin é o nosso candidato. Não quero desmerecer as prévias que vão acontecer no próximo dia 4 [de março] com o prefeito de Manaus, Arthur Virgilio, que merece todo o nosso respeito, tem uma trajetória política e uma biografia respeitável, mas o nosso candidato à Presidência é o governador Geraldo Alckmin e eu tenho feito essa interlocução com o PMDB", afirmou Doria.

Um dos cotados para ser o candidato tucano ao governo de São Paulo, Doria afirmou que a ideia é tentar reproduzir a coalizão nacional no nível estadual, com partidos como PMDB, PP, DEM e PSDB.

O PMDB, no entanto, tem a intenção de lançar Paulo Skaff ao Palácio dos Bandeirantes. Por outro lado, Doria afirma que "não há a menor hipótese de o PSDB não ter candidatura própria ao estado de São Paulo".