Crianças se alimentam de ratos e pais se suicidam na Venezuela por causa da fome

Crianças se alimentam de ratos e pais se suicidam na Venezuela por causa da fome

A escassez de comida na mesa de muitos venezuelanos está levando a população de El Bocado  (200 km de Caracas), à uma situação extrema: caçar roedores para se alimentar. Na comunidade Cabello,

Leia tudo

A escassez de comida na
mesa de muitos venezuelanos está levando a população de El Bocado  (200 km de Caracas), à uma situação extrema:
caçar roedores para se alimentar. Na comunidade Cabello, virou rotina crianças
saírem quase todos os dias, sempre à tarde, para colocarem armadilhas para
‘rato’.

 O prefeito da cidade explicou que com a crise financeira as empresas da
região fecharam e os comércios também.

Segundo
o prefeito, a administração regional tem conhecimento do problema enfrentado
pela família, mas a situação é de difícil controle.



Eles
moram na Zona Urbana em uma área de domínio do Departamento de Estradas de
Rodagem da Venezuela. é uma região carente e de difícil plantio, mas o fato
dessa e de outras famílias comerem caça como carne de ratos, não pode ser
controlado pelo poder público.

É um hábito alimentar comum em outras cidades e
esse ato alimentar não cabe a mim julgar”, contou o prefeito de El bocado.

A casa
de poucos cômodos não possui rede de esgoto, a instalação elétrica é feita com
gambiarras e não há higiene. Para matar a sede, os garotos pegam água de um
açude próximo onde não há tratamento adequado para o consumo. “Podemos dizer
que é uma pobreza muito grande, que não sei mensurar.

Fiquei muito chocado e
comovido. Eles bebem água barrenta que pegam em um açude. Daí, usei o
jornalismo para tentar ajudar essa família e amenizar a dor dessas crianças”,
disse o jornalista.



Um
homem foi encontrado morto perto da estação de trem da cidade, de acordo com o
registro feito na delegacia local, era o chefe da família citada na reportagem
e teria cometido o suicídio porque devia 50 bolivares (moeda venezuelana) a um
comerciante na compra de alimentação dos filhos. Como não tinha condição
financeira para quitar o débito, resolveu tirar a própria vida.