Enquanto Governo de SP gasta milhões em Parada Gay e Carnaval, hospital infantil fecha por falta de dinheiro

Enquanto Governo de SP gasta milhões em Parada Gay e Carnaval, hospital infantil fecha por falta de dinheiro

A Parada do Orgulho LGBT de São Paulo é considerada a maior do mundo neste gênero. Instituída oficialmente no calendário da cidade pelo Decreto 57.014/2016, em 2017 contou com a doação no valor de R$ 1.421.115,93 da prefeitura de São Paulo,

Leia tudo

Mergulhado numa grave crise financeira e institucional, o Hospital Universitário da USP (Universidade de São Paulo) fechou, no mês anterior, o pronto-socorro infantil.A unidade só está prestando atendimentos em casos emergenciais já encaminhados por postos de saúde da região.

Pela manhã, um cartaz fixado na entrada da unidade avisava que o setor pediátrico estava com seu funcionamento comprometido.O hospital é uma unidade pública de referência na zona oeste da capital paulista. Também serve como local de estudos aos alunos das áreas da saúde.

Foram o sucateamento e a fuga em massa de médicos que motivaram o início de uma greve de alunos de medicina da universidade, algo que não acontecia desde os anos 1970. O movimento grevista já dura oito dias.Segundo a universitária Maria Luiza Corullon, presidente do Centro Acadêmico "Oswaldo Cruz", o fechamento da pediatria já estava previsto porque a quantidade de médicos no setor não dá conta de atender aos plantões. "O ideal era ter 32 profissionais. Hoje, são 22", diz.

A Parada do Orgulho LGBT de São Paulo é considerada a maior do mundo neste gênero. Instituída oficialmente no calendário da cidade pelo Decreto 57.014/2016, em 2017 contou com a doação no valor de R$ 1.421.115,93 da prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria de Direitos Humanos e Cidadania, para a infraestrutura do evento; em 2018 esse valor aumentará. Em 2018 a prefeitura de São Paulo gastou  R$ 118.324.765,00 apenas em Carnaval.