Entusiasta da ciência no futebol, Roger vive dias de "Disney" no Palmeiras

Entusiasta da ciência no futebol, Roger vive dias de "Disney" no Palmeiras

Estar na Academia de Futebol para Roger Machado tem sido como viver dias de criança em um parque de diversão. Conhecido por valorizar bastante os estudos de futebol, o técnico dedica boa parte do seu

Leia tudo

Estar na Academia de Futebol para Roger Machado tem sido como viver dias de criança em um parque de diversão. Conhecido por valorizar bastante os estudos de futebol, o técnico dedica boa parte do seu dia à ciência do esporte: vídeos, testes e análises feitas pela sua equipe de desempenho e por programas de computador.
As ideias dele casam perfeitamente com o momento do clube. Depois de ver o São Paulo e até o Corinthians saírem à frente com Centros de Treinamentos mais estruturados, o Palmeiras agora se orgulha uma casa própria desenvolvida e segue fazendo parcerias para profissionalizar o departamento.

Nesta semana, por exemplo, Roger conseguiu que o clube contratasse mais um software feito pela empresa equatoriana Kin Analytics. A ferramenta chega para incrementar o poderio do CIP (Centro de Inteligência do Palmeiras) e tem como diferencial calcular variáveis e métricas do tempo de recuperação da bola.

Na análise completa, o técnico sabe o tempo de reação de seus atletas para combater o adversário, o tempo que a bola fica com o time por setor do campo e quanto tempo cada jogador fica com a bola, entre outras variáveis. Ele costuma traçar metas para que seus atletas tenham em mente a importância da reação em cada parte do gramado.Os jogadores aprovam a novidade. "A gente procura absorver o máximo possível. Ele tem uma linha de trabalho mais moderno, não sei se seria essa palavra. Tem bastantes regras táticas que fazemos durante a semana. Tentamos levar isso para o jogo, vem dando certo. Procuramos fazer o que é pedido para que as coisas continuem bem", disse Tchê Tchê.

"Ele cobra bastante com vídeos e números, as coisas que a gente faz. E ele está conversando com todo mundo, começando do Borja, passando pela gente e depois pelo Felipe, para a bola chegar o mais mascado possível para eles só devolverem para o Jailson".

Já há uma equipe que monitora o desempenho de atletas por GPS tanto nos jogos quanto nos treinamentos. O arsenal de observação conta até mesmo com um drone que faz imagens aéreas para que o comandante corrija seus atletas.

Depois de todo o estudo, Roger ainda leva a sua lousa ao centro de campo para mostrar aos atletas tudo de forma prática, já aplicada às situações de dia a dia. Nos treinos, exige bastante dedicação tática de seus comandados e não se preocupa em perder a voz para corrigir seus atletas.

As entrevistas coletivas do comandante são recheadas de termos técnicos e táticos para explicar o que considera ideal dentro de campo, usando expressões, muitas vezes, desconhecidas do grande público. Bem ambientado e se sentindo em casa, ele já até leva a família para o Allianz Parque e para a Academia de Futebol.

Somado a isso, o técnico ainda promove a integração entre áreas de fisiologia e departamento médico. É com base nos exames, inclusive, que o comandante tem decidido iniciar a temporada quase com força máxima, revezando pouco seu time titular.