Estudantes de Humanas da USP declaram seu ódio contra a PM por causa da Maconha

Estudantes de Humanas da USP declaram seu ódio contra a PM por causa da Maconha

Estudantes da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP) fizeram novo protesto nesta segunda-feira (31), pedindo a saída do reitor da instituição, João

Leia tudo

Estudantes da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP) fizeram novo protesto alguns anos atrás pedindo a saída do da Polícia Militar na Cidade Universitária, na Zona Oeste da capital de São Paulo. Eles chegaram a fechar uma rua ao lado da universidade.
Os protestos começaram quando três alunos foram flagrados pela PM com maconha.

Colegas de faculdade tentaram impedir que eles fossem levados para a delegacia, onde, posteriormente, assinaram termo circunstanciado por porte da droga.
Quando finalmente os alunos eram levados, centenas de estudantes cercaram os carros das polícias Civil e Militar e tentaram impedir sua saída. Houve bate-boca e o confronto começou quando um coquetel molotov foi jogado sobre os PMs. Enquanto a polícia usava cassetetes e bombas de gás lacrimogêneo, os manifestantes jogavam pedras.  Na época seis veículos policiais foram depredados. 

Hoje é de conhecimento de todos a rejeição dos estudantes da Universidade de São Paulo para com a PM, segundo os alunos da universidade a PM representa um "instrumento de opressão do Estado" e "os verdadeiros bandidos".