Ex-ministra dos direitos humanos exige soltura de estuprador da sorveteria

Ex-ministra dos direitos humanos exige soltura de estuprador da sorveteria

A ex-ministra dos direitos humanos, doutora Maria do Rosário, chegou nesta sexta-feira no presídio da Manaus e exigiu a soltura do suspeito (menor de idade) pelo estupro da sorveteria; comovi

Leia tudo

A ex-ministra dos direitos humanos, doutora Maria do Rosário, chegou nesta sexta-feira no presídio da Manaus e exigiu a soltura do suspeito (menor de idade) pelo estupro da sorveteria; comovida com o incidente a atual deputada federal argumentou que não existiam provas conclusivas sobre o ato em questão e que era inadequada a permanência do menor nas dependências da polícia civil em Manaus.

"O menino possui apenas 15 anos de idade, não possui discernimento e capacidade analítica para ser responsável por seus atos, uma vez que não caracteriza-se crime de estupro, mas sim "ato infracional" conforme predisposto no Estatuto da Criança e do Adolescente" afirma a ex-ministra.

Com a lei em favor da deputada o suspeito foi solto e redirecionado para seus familiares e como medida disciplinar os responsáveis terão que prestar serviços comunitários.


Não é a primeira vez que a Deputada intervém em favor de menores criminosos, o caso mais adverso foi o do famoso "caso Liana Friedenbach", a moça foi brutalmente violentada e assassinada pelo menor conhecido como "Champinha" em 2003; a deputada fez esforços imensuráveis para determinar a integridade física e moral do detido, antes ameaçado por utros menores infratores. A deputada afirmara na época usando o ECA (estatuto da criança e do adolescente)"Havendo repartição policial especializada para atendimento de adolescente e em se tratando de ato infracional praticado em coautoria com maior, prevalecerá a atribuição da repartição especializada, que, após as providências necessárias e conforme o caso, encaminhará o adulto à repartição policial própria", "o menor foi levado a cometer esse ato brutal devido a forte pressão ao qual a cidade aplica para aqueles oprimidos por serem órfãos, entendemos que ele passou por circunstâncias difíceis e exigimos a imediata e melhor providência para a integridade física do menor.


Um adolescente de 15 anos foi apreendido em julho, após ser reconhecido como suposto autor de um assalto em uma sorveteria na rua Adalberto Vale, bairro Betânia, Zona Sul de Manaus. Na ocasião, o ladrão levou um celular, R$ 150 e ainda estuprou uma funcionária no banheiro do estabelecimento.


A mulher de 26 anos foi obrigada a entrar no cômodo, que fica nos fundos do estabelecimento, e foi estuprada supostamente pelo menor de idade. Ela aparece nas imagens, com as roupas levantadas e visivelmente abalada. Ao ser capturado, o adolescente negou que tenha cometido o estupro. Ele disse que apenas ordenou que ela retirasse a roupa para não sair em busca de ajuda.