Facebook exclui página "Ceticismo Político" e seus administradores por falarem mal de Marielle Franco

Facebook exclui página "Ceticismo Político" e seus administradores por falarem mal de Marielle Franco

Neste sábado (24), o Facebook tirou do ar uma página e dois perfis relacionados à disseminação de fake news contra a vereadora Marielle Franco (PS

Leia tudo

Neste sábado (24), o Facebook tirou do ar uma página e dois perfis relacionados à disseminação de notícias que falam contra a vereadora Marielle Franco (PSOL), assassinada a tiros no dia 14, no Rio de Janeiro. Foram apagados os perfis Luciano Ayan e Luciano Henrique Ayan, identificados como falsos, por contrariarem normas da rede social. A página Ceticismo Político também foi removida, e era administrada por um suposto perfil falso, o de Ayan.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, a Justiça do Rio de Janeiro ordenou que o Google retire do ar 16 vídeos do YouTube que também apresentam informações aversas à vereadora. A decisão, da juíza Márcia Correia Hollanda, ocorreu na noite de quinta-feira (22) e dá um prazo de 72 horas para que isso ocorra.

Até a noite de quinta-feira (22), um link do Ceticismo Político havia sido compartilhado mais de 360 mil vezes no Facebook, segundo reportagem publicada pelo jornal O Globo. O material ocupava o primeiro lugar entre as publicações que apontavam ligação entre a vereadora e o crime organizado. Conforme o jornal, a página teve "papel fundamental na disseminação das acusações". A mensagem também teria sido replicada pela página do Movimento Brasil Livre (MBL).

— Nossos padrões da comunidade não permitem perfis falsos, e contamos com nossa comunidade para denunciar contas assim. Páginas administradas por perfis falsos também violam nossas políticas – disse, ao O Globo, o porta-voz do Facebook no Brasil, Cesar Bianconi.