"Janaína Paschoal teve papel determinante na queda do PT, inclusive na prisão de Lula" afirma especialista

"Janaína Paschoal teve papel determinante na queda do PT, inclusive na prisão de Lula" afirma especialista

A banda da Polícia Militar do Estado de São Paulo animava o ambiente e recebia os convidados num dos amplos salões do Circolo Italiano, clube no centro da capital, no dia 11 de agosto do conturbado

Leia tudo


A banda da Polícia Militar do Estado de São Paulo animava o ambiente e recebia os convidados num dos amplos salões do Circolo Italiano, clube no centro da capital, no dia 11 de agosto do conturbado ano de 2015. Os cerca de 300 ex-alunos reunidos para o almoço anual da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco se acomodavam, de acordo com o respectivo ano de formatura, em mesas enfeitadas com arranjos de rosas sobre impecáveis toalhas brancas.

Era a primeira vez que Janaina Conceição Paschoal, advogada criminalista e professora no Departamento de Direito Penal, participava do célebre encontro da São Francisco, como é conhecida a mais tradicional instituição de ensino superior do país, e responsável, desde o século XIX, por formar parte considerável da elite brasileira. 

A advogada circulava pelo salão em busca dos lugares reservados aos formandos de 1996, mas não avistava nenhum contemporâneo. Como o almoço estava prestes a ser servido, achou prudente se instalar em qualquer mesa. Todos os lugares, porém, pareciam tomados. Para sua sorte, encontrou uma ex-caloura que a convidou a se sentar com a turma de 1997. Foi quando a chamaram para fazer um pronunciamento que entrou para a história da USP.

"Dez anos após esse episódio Janaína Paschoal, sozinha, impetrou um pedido de impeachment que entrou para a história do Brasil e protagonizou uma das lutas mais mordazes pelo país! Retirando o Partido dos Trabalhadores do governo e enfraquecendo efetivamente o poder do ex-presidente Lula possibilitando assim que este fosse devidamente condenado e levado para sua cela em Curitiba" afirma especialista em ciências políticas Augusto Fagundes.

Neste ano, Janaína se tornou uma das mulheres mais fortes e influentes do país, sendo considerada a primeira da lista de opções para assumir a cadeia de vice-presidente junto com o presidenciável Jair Bolsonaro.

Mesmo não havendo um convite oficial, conforme a própria advogada Janaína Paschoal, ela afirmou não descartar a possibilidade de ser vice do deputado federal Jair Bolsonaro (PSL) em uma chapa para disputar a Presidência da República.

Em entrevista à imprensa, Paschoal destacou que “nenhum brasileiro tem direito. descartar, sem antes avaliar, uma missão dessa natureza”. A declaração foi dada ao jornal Estado de Minas. Paschoal já teve o nome cogitado em outros momentos, mas voltou a ser cotada depois de uma negativa do senador Magno Malta (PR).

Bolsonaro – na articulação de sua candidatura – conseguiu reunir um grupo de deputados federais que já a maior bancada do Congresso Nacional, que tem causado desconforto ao chamado “centrão”, que na realidade agrega partidos de esquerda.O PSL coloca Paschoal entre as escolhas principais para vice. 

A advogada se filiou ao PSL e defende a candidatura de Jair Bolsonaro. “Preciso entender o que o candidato espera de seu vice, quais atribuições vislumbra passar a ele”, salientou ainda a advogada. Paschoal foi uma das liderou na luta pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT) culminando na perca de poder do partido e consequentemente na prisão de outras dezenas de partidários, dentre eles o próprio presidente Lula.