Leque de opções: Roger tem vários nomes para escalar Palmeiras do meio para frente

Leque de opções: Roger tem vários nomes para escalar Palmeiras do meio para frente

Apesar de a expectativa criada em 2017 não ter sido correspondida em campo, o Palmeiras inicia a atual temporada novamente como um dos mais fortes candidatos aos títulos das principais competições do

Leia tudo

Apesar de a expectativa criada em 2017 não ter sido correspondida em campo, o Palmeiras inicia a atual temporada novamente como um dos mais fortes candidatos aos títulos das principais competições do nosso calendário, como o Brasileirão, a Copa do Brasil e a Taça Libertadores. Além de manter a base do elenco, o Verdão ainda contratou reforços como o goleiro Weverton, o lateral Diogo Barbosa, além dos meias Lucas Lima e Gustavo Scarpa. Tudo graças ao poderio econômico do clube, muito acima dos principais rivais. Pensando nisso, a equipe do Espião Estatístico* fez uma análise das opções que o técnico Roger Machado terá à sua disposição do meio para o ataque baseada nos números do último Campeonato Brasileiro.
Autor de nove gols e cinco assistências em 26 jogos, a permanência do atacante Dudu pode ser considerada um reforço, ainda mais se levarmos em conta que o jogador, de 26 anos, tinha uma proposta milionária do Changchun Yatai. Além de ser capitão, um dos líderes da equipe e maior artilheiro do novo estádio do Palmeiras, Dudu é referência técnica por sua velocidade, dribles e eficiência.

Outro xodó da torcida é o volante Moisés, que em 19 partidas fez três gols e deu outras três assistências para algum companheiro estufar a rede adversária. O atacante Keno, que deslanchou sobretudo na reta final de 2017 - foram oito gols e cinco assitências em 31 confrontos ao longo do último Brasileiro - vem mantendo o ritmo neste início de temporada. Outro homem de frente que pode dar trabalho ao técnico Roger na hora de escolher os 11 titulares é Willian. Além dos sete gols marcados e das cinco assistências em 26 duelos, o seu aproveitamento nos passes beirou os 90%.

Não podemos esquecer do meia venezuelano Alejandro Guerra, que nas 20 vezes que esteve em campo - 15 como titular e cinco entrando no decorrer do jogo - marcou cinco gols e foi responsável por três assistências. Entre os recém-contratados, Lucas Lima marcou apenas um gol e deu seis assistências nas 25 vezes em que atuou pelo Santos, enquanto Scarpa estufou a rede duas vezes, além de ser responsável por 12 assistências e 112 chutes a gol nas 38 rodadas defendendo o Fluminense.

Integrante da equipe do Espião Estatístico, o jornalista Guilherme Maniaudet lembrou também do volante Tchê Tchê, que embora não tenha balançado a rede nenhuma vez em 34 jogos - apenas dois como reserva - deu duas assistências para gol e teve aproveitamento de 93,7% nos passes.
 - Fonte: SporTV