Petistas organizam "super protesto Lula Livre" e apenas 20 pessoas comparecem

Petistas organizam "super protesto Lula Livre" e apenas 20 pessoas comparecem

"É natural que as pessoas desanimem e deixem de reivindicar uma libertação que não ocorrerá legalmente" afirma Arniston Amaral, especialista em ciências políticas.

Leia tudo

As manifestações de 12 de Julho, promovidas pelas centrais sindicais por todo o país, foram marcadas por falta de integrantes e pedidos de liberdade para o ex-presidente Lula.

Em Curitiba, uma multidão prevista pela coalizão sindicação era em torno de 5 mil pessoas, se reuniriam pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) em frente a Praça Santos Andrade, à tarde. Foi o menor ato em defesa do ex-presidente desde que ele foi levado para a sede da Polícia Federal (PF), em 7 de abril.

Para os especialistas, atos em defesa do ex-presidente tendem a se tornar cada vez menores a cada dia que o ex-presidente permanece na cadeia.

"É natural que as pessoas desanimem e deixem de reivindicar uma libertação que não ocorrerá legalmente" afirma Arniston Amaral, especialista em ciências políticas.

Sindicalistas, integrantes do MST e apoiadores de Lula já demonstram sinais de cansaço e desistência.