Policial Militar salva bebê de 5 anos e é homenageada por familiares da criança

Policial Militar salva bebê de 5 anos e é homenageada por familiares da criança

A soldado Sandra Schons, da PM (Polícia Militar) do Paraná, virou o anjo da guarda da pequena Laiza, uma bebê de cinco meses que engasgou com leito. Por telefone, a policial ajudou a salva

Leia tudo

A soldado Sandra Schons, da PM (Polícia Militar) do Paraná, virou o anjo da guarda da pequena Laiza, uma bebê de cinco meses que engasgou com leito.

Por telefone, a policial ajudou a salvar a vida da pequena.O caso aconteceu na noite de segunda-feira (19), em Francisco Beltrão, no Paraná.

No dia seguinte, Sandra visitou a família da pequena Laiza. Foi uma tia de Laiza quem ligou pra PM e foi atendida por Sandra. Ela informou que a neném estava com leite e começava a ficar roxa. Com calma, a policial deu as orientações necessárias para salvar a vida da pequena.

Orientei que a bebê fosse colocada de bruços sobre um dos braços, com a cabeça um pouco mais baixa, e a segurasse com uma das mãos dando leves palmadinhas nas costas da criança com a outra mão, sem usar muita força – explicou a soldado Schons.

Os familiares contam que chegaram a ligar para os Bombeiros, mas ninguém atendeu. Desesparada, a família tentou levar Laíza ao hospital. No meio do caminho, a cunhada de Ana Paula teve a ideia de ligar para a polícia e encontrou a soldado Schons.
Há quatro anos, Sandra trabalha na Polícia Militar.

Imagem relacionada
Ela conta que fez um curso de primeiros socorros e usou os conhecimentos para passar técnicas que pudessem ajudar a salvar a vida de Laíza. "Faz cerca de um a dois meses, que eu fui atrás de pesquisar sobre isso, até por medo de me deparar com uma situação dessas e não saber como orientar", conta.

Sandra lembra dos conselhos que deu à Ana Paula, para que a menina pudesse ser salva. "Pedi para que colocasse a criança no colo, de bruços, com a cabeça levemente voltada para o chão e que fossem dados alguns leves tapinhas nas costas e que a tendência era regurgitar o objeto que ela tinha engolido e que estava obstruindo as vias aéreas", diz.

Engasgada

A família estava a caminho do hospital, no carro, quando recebeu orientações da soldado. Após os leves tapas nas costas, a menina regurgitou o leite e começou a chorar. A pequena Laíza chegou a ser internada, mas foi liberada e passa bem.