Raquel Dodge desenterra medida para prejudicar Exército, generais repudiam ato

Raquel Dodge desenterra medida para prejudicar Exército, generais repudiam ato

Na ação, ela evoca “necessidade de reflexão da Lei da Anistia", deputado ficou famoso na década de 60 ao discursar a favor do presidente destituído João Goulart e articular grupos terroristas de extrema-esquerda liderados por Carlos Lamarca, mas foi detido pelas forças militares da época e veio a óbito durante o processo de extração de informações.

Leia tudo

Hoje a procuradora geral da República, Raquel Dodge, causou ma estar e irritação no alto-comando do Exército o pedido da procuradora-geral da para que o Supremo volte a discutir o alcance da Lei da Anistia, assunto considerado página virada pela força terrestre.

A cúpula militar questiona os motivos de, em meio a tantos problemas no País, Dodge remexer em questão que já foi objeto de decisão do STF. O assunto entrará na pauta da reunião do alto-comando do Exército agendada para a próxima semana.

Os generais das forças armadas avaliaram que, ao provocar o debate, a procuradora “cria uma instabilidade desnecessária no momento em que o Brasil precisa de união”. A assessoria de Dodge diz que sua manifestação está nos autos.

A procuradora ingressou no Supremo pedindo a retomada de ação contra acusados de matar o ex-deputado Rubens Paiva.

Na ação, ela evoca “necessidade de reflexão da Lei da Anistia", deputado ficou famoso na década de 60 ao discursar a favor do presidente destituído João Goulart e articular grupos terroristas de extrema-esquerda liderados por Carlos Lamarca, mas foi detido pelas forças militares da época e veio a óbito durante o processo de extração de informações.