Time titular? Roger Machado faz mistério e não revela Palmeiras para o clássico

Time titular? Roger Machado faz mistério e não revela Palmeiras para o clássico

Curto e direto. Assim foi o técnico Roger Machado na entrevista coletiva desta sexta-feira, ao ser questionado sobre se já tinha definido a equipe titular do Palmeiras que enfrenta o Santos, às 17

Leia tudo

Curto e direto. Assim foi o técnico Roger Machado na entrevista coletiva desta sexta-feira, ao ser questionado sobre se já tinha definido a equipe titular do Palmeiras que enfrenta o Santos, às 17 horas (de Brasília) de domingo, no Allianz Parque.
– Já tenho definido, já – afirmou o treinador, que respondeu à pergunta seguinte de maneira negativa ao ser abordado se poderia revelar o time.

Nas quatro primeiras rodadas do Campeonato Paulista, Roger Machado fez apenas mudanças por questões físicas. Desta maneira, a tendência é que a base seja mantida para o clássico, já que o treinador não tem desfalques por suspensão ou por lesões recentes.

Durante a semana, o treinador optou por trabalhar com Jailson; Marcos Rocha, Antônio Carlos, Thiago Martins e Victor Luis; Felipe Melo; Willian, Tchê Tchê, Lucas Lima e Dudu; Borja. A entrada de Keno no lugar do colombiano foi uma variação testada para o sistema ofensivo. O treinador, porém, indicou a permanência de Borja na equipe.

– O que tenho dito do Miguel é que, dentro de suas principais virtudes, se analisarmos suas ações, ele cresceu bastante. Talvez o momento de instabilidade no jogo faça com que ele não use sua principal virtude, que é a finalização a gol. Mas isso passa. Se não passar, tem outros jogadores com alternativa para suprir essa necessidade e ele resgaste a confiança. Mas, neste momento, acredito que o jogo vai restabelecer essa confiança, se é que em algum momento ele perca durante os jogos – contou o comandante.

Favoritismo palmeirense?

Dono da melhor campanha do Paulistão, o Palmeiras entra em campo no domingo como o único time do torneio com 100% de aproveitamento. Isso faz do Verdão um favorito no clássico, Roger?

– Tudo isso aumenta nossa responsabilidade. Talvez nos coloquem como favoritos em visão externa. Pelo fato de ter terminado 2017 na segunda colocação do Brasileiro, de ter trazido e acrescentado qualidade ao grupo pontualmente, abrimos a temporada com grupo quase 90% formado. Isso dá vantagem, não tenha dúvida. Diferente de outras equipes que perdem seus valores, com ascensão de jogadores jovens. Isso demanda mais tempo para chegar ao equilíbrio – avaliou Roger.

– Mas, do nosso ponto de vista, o favoritismo precisa ser traduzido em campo. Nós conseguimos, como time grande, impor nosso jogo nos quatro primeiros. Responsabilidade de vencer, o quinto jogo da temporada ser um clássico. A gente não foge da responsabilidade e desse pseudo favoritismo, mas isso tem que ser demonstrado dentro de campo – acrescentou.
 - Fonte: Globoesporte.com