Vereadora do PSOL executada condenava as forças policiais do Rio de Janeiro

Vereadora do PSOL executada condenava as forças policiais do Rio de Janeiro

Quatro dias antes de ser assassinada, a vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) postou uma crítica em suas redes sociais: “Precisamos gritar para que todos saibam o está acontecendo em Acari

Leia tudo

Quatro dias antes de ser assassinada, a vereadora carioca Marielle Franco (PSOL) postou uma crítica em suas redes sociais: “Precisamos gritar para que todos saibam o está acontecendo em Acari nesse momento. O 41° Batalhão da Polícia Militar do Rio de Janeiro está aterrorizando e violentando moradores de Acari”.

Desde sua criação, em 2011, o batalhão é o que registra os maiores índices de homicídio em decorrência de ação policial na cidade. A área sob responsabilidade da unidade inclui Acari, Irajá, Pavuna e outros bairros na zona norte do Rio.

Em relação ao total de mortes violentas por área, também é um dos que registram as mais altas taxas. Todo ano, oscila entre o primeiro e o segundo lugar no ranking de homicídios decorrentes de ação policial no estado.

Em 2011 e 2017, foi superado pelo 15º (Duque de Caxias); em 2015, pelo 7º (São Gonçalo), ambos da região metropolitana.Em 2017, quase um a cada três homicídios ocorridos na circunscrição do 41º BPM ocorreu em ações policiais. Em janeiro, foram 41%.

Entre a criação do batalhão e o dado mais recente, de janeiro deste ano, 567 pessoas foram mortas em ação policial pelos policiais do 41º batalhão.O Instituto de Segurança Pública (ISP), que organiza as estatísticas de segurança do Rio, só fornece dados até janeiro, período anterior à intervenção federal.